terça-feira, 31 de maio de 2011

HÁ PROVAS QUE DEUS EXISTE

Frequentemente me perguntam se há provas concretas da existência de Deus. Muitos acham que não e que tudo não passa de fantasia das cabeças dos cristãos, pois o ser humano precisa encontrar um grande "Pai", que tome conta da sua vida. 

A grande mídia, de uma forma geral, não se cansa de ridicularizar as explicações cristãs para as questões da vida. As instituições de ensino vão pelo mesmo caminho - em algumas delas é considerado absurdo um professor aceitar o cristianismo como coisa séria, como ouvi da boca de uma professora universitária. 

Não é de se estranhar, portanto, que os verdadeiros cristãos expostos a esses argumentos, muitos deles apresentados de forma bem atraente, acabem com dúvidas. E infelizmente, o cristianismo está de certa forma perdendo essa “batalha” junto à opinião pública, pois muitos nos vêem como retrógrados. E estamos perdendo essa "batalha" por nossa própria culpa. Em primeiro lugar, porque nós, de uma forma quase geral, não dedicamos tempo suficiente para estudar os argumentos relacionados à existência de Deus, de forma a ter um “arsenal” de respostas adequadas. É como numa prova escolar, você somente vai saber a resposta a ser dada, se estudar a matéria. Simples assim.

Outro motivo é nossa postura tímida: num mundo “politicamente correto”, temos vergonha de parecer intolerantes, por defender nossa fé. Mas, o interessante, é que os ateus não têm nenhuma vergonha de ir para o jornal, ou escrever um livro, dizendo que o cristianismo é uma bobagem e que nenhuma pessoa razoavelmente inteligente deveria acreditar nas fantasias sobre Jesus.

É claro que um confronto de ideias pressupõe respeito de parte a parte. Discordar de uma pessoa não é ofendê-la e nem fazer pouco dela, muito menos usar de violência, quer verbal, quer física (infelizmente, como muitos cristãos fizeram ao longo da história). Jesus debateu de forma contundente com as pessoas que queriam questioná-lo. Ele nunca deixou de falar o que precisava ser dito, mas nunca o fez de forma agressiva ou desrespeitosa.

A verdade é que a ciência não pode provar diretamente que Deus existe ou não, por que Ele não é algo que pode ser analisado através de métodos científicos. Mas o fato de que algo não ser provado diretamente pela ciência, não caracteriza sua inexistência, como muitos cientistas querem fazer crer. Isto porque a ciência não consegue lidar bem com coisas imateriais. Por exemplo, o amor é algo bem real em nossas vidas e não há uma explicação científica plena para ele.

A forma de provar a existência de Deus é indireta, ou seja pelos efeitos que vemos em torno de nós. Isto não é absurdo pois a ciência lida com muitas coisas dessa forma - um bom exemplo é a eletricidade, que ninguém sabe bem o que é, mas sabemos que é real pois exploramos seus efeitos.

Seguindo essa linha de raciocínio, uma forma simples e eficaz de tratar da existência de Deus é usar a formação do universo como ponto de partida. Sabemos que nosso universo não existiu sempre e foi formado num dado momento. Hoje a teoria mais aceita é o chamado Big Bang – tudo começou pela explosão de um “ovo” cósmico, uma pequena esfera de matéria, mas de uma densidade inimaginável.

Ora, se foi assim – e tudo indica que sim – como essa esfera de matéria foi criada? Se, para os ateus, nada havia antes da formação do universo, como é que essa esfera de matéria veio a existir? Afinal, o “nada” não pode gerar alguma coisa. Não seria lógico aceitar isto.

Para tentar explicar essa questão, os ateus fazem todo tipo de “malabarismo” teórico, buscando argumentos que não se sustentam, como já foi amplamente demonstrado por diversos estudiosos sérios. Tanto é assim, que uma dos maiores filósofos ateus do sec XX, Anthony Flew, no final da vida disse literalmente que passou a aceitar a existência de Deus, pois era algo muito mais lógico do que o contrário – até escreveu um livro sobre isto, que já está traduzido para o português.

Ora, se havia um “ovo” cósmico antes do Big Bang, que deu origem a tudo, alguém ou alguma força deve tê-lo criado. E essa força precisaria ter características muito além de qualquer entendimento nosso, para pode estar na origem de algo como o "Big Bang". E aí começamos a ver a figura de Deus. É claro que o argumento vai muito mais longe do que isto pois apenas dei uma ideia básica de como ele se desenvolve.

Não se envergonhe de defender a existência de Deus em qualquer círculo social que você frequente. Há argumentos muitos sólidos para prová-la. Mas, se você tiver interesse nisto, precisa se aprofundar e entender toda a lógica da argumentação. Se você quiser maiores detalhes, escreva para o blog.


Um abraço

Vinicius

2 comentários:

  1. Gostaria de parabeniza-lo, realmente encontrei seu Blog por um acaso, mas ele é um dos melhores que ja lí sobre estes assuntos, que vc possa continuar publicando no mesmo. A paz do senhor esteja contigo!

    ResponderExcluir
  2. Danilo

    Agradeço suas palavras.

    Um abraço

    ResponderExcluir