segunda-feira, 3 de outubro de 2011

COMO LIDAR COM A ANSIEDADE

"Deus me dê a serenidade para aceitar aquilo que eu não posso mudar, a coragem para mudar aquilo que está a meu alcance e a sabedoria para diferenciar uma coisa da outra. Para viver um dia de cada vez, desfrutando cada momento, aceitando as dificuldades como um caminho para o crescimento espiritual e confiando sempre que Tu haverás de fazer o melhor para mim, sempre, caso eu entregue minha vida para Ti. Amém."
         Oração atribuída a São Franscisco de Assis

A ansiedade é um sentimento natural e não é algo que possa ser evitado: Quem já não ficou ansioso antes de uma prova na faculdade, antes de uma viagem, ou na véspera de uma cirurgia? É inevitável.

Mas há uma ansiedade que ultrapassa esse quadro, digamos, de normalidade. Refiro-me àquela pessoa que vive ansiosa, por quase tudo e não consegue levar uma vida de contentamento e paz. Essa ansiedade destrutiva acaba por drenar as energias da pessoa e muitas vezes até a deixa paralisada. É a esta ansiedade que me refiro e que vou discutir ao longo deste post. 

A ansiedade destrutiva nasce do desejo de controlar situações que quase nunca podem ser controladas. E tem mais a ver com as perspectivas da própria pessoa do que com as circunstâncias reais da vida dela - o filósofo Montaigne chegou a dizer: “minha vida é cheia de infortúnios, a maior parte dos quais nunca aconteceu.”

Esse tipo de ansiedade causa, inclusive, diversos males físicos. Por exemplo, homens muito ansiosos têm quatro vezes mais chance de sofrer ataques cardíacos. A ansiedade diminui a resistência a doenças e piora o sistema digestivo. Quando se adiciona a isto a insônia e a falta de contentamento com a vida, o estrago causado é grande. 

Jesus nos alertou fortemente contra a ansiedade destrutiva (ver Mateus capítulo 6, versículos 25 a 34): nesse texto Ele demonstra saber que a ansiedade faz parte da vida das pessoas, mas que há um limite que não pode ser ultrapassado. 

E o maior problema da ansiedade destrutiva é que ela não muda nada, exceto a própria pessoa que sofre com ela. É como uma cadeira de balanço que dá a sensação de alguma ação, mas não leva a lugar nenhum. 

Como combater a ansiedade destrutiva
As causas para a ansiedade destrutiva são o desejo de controlar completamente o futuro e a falta de fé em Deus. Quando uma pessoa fica ansiosa assim é porque quer ter certeza que tudo em sua vida está sob controle e acha que Deus não vai dar conta de fazer isto tão bem como ela.

A Bíblia nos ensina que, ao invés de ficarmos ansiosos, o que nada resolve, devemos entregar nossos problemas para Deus (ver 1 Pedro capítulo 5, versículos 6 e 7), pois Nele nascem as respostas que precisamos. É claro que a pessoa deve fazer sua parte - planejar, se preparar, etc - mas, feito isto, deve entregar os problemas nas mãos de Deus, como Jesus nos ensinou. 

Portanto, há na ansiedade destrutiva uma raiz de pecado, que é a falta de fé e de confiança em Deus. Não é uma conclusão agradável, mas é inevitável, dado o que foi falado acima.

O ensinamento do texto de 1 Pedro citado acima indica claramente que há uma dose de humildade envolvida no caminho, ou seja a pessoa precisa reconhecer que é incapaz para controlar tudo que se refere à vida dela e passar o controle para Deus. 

O processo para reduzir ou mesmo ficar livre da ansiedade destrutiva funciona mais ou menos assim: 
  • Diminua as fontes de ansiedade. Por exemplo, saiba que você nunca vai agradar todo mundo e às vezes será até rejeitado; passará por imprevistos; vai falhar algumas vezes; envelhecerá inexoravelmente; tenderá a engordar à medida que a idade chegar, etc. 
  • Procure viver mais no presente e menos no passado ou no futuro, como Jesus mesmo ensinou no texto que citei acima, ao dizer: lembre-se que "basta a cada dia o seu mal...
  • Reconheça as fontes de ansiedade que restaram e as confesse a Deus. 
  • Procure reforçar sua fé. Ore sempre e peça a Deus ajuda. A chamada "oração da serenidade", citada no início deste post, pode ajudar muito.
  • Vá entregando mais e mais suas preocupações a Deus, uma vez que sua parte tenha sido feita em cada caso: Comece com uma delas, depois entregue outra preocupação e assim por diante.
  • Persevere, sem ligar muito para as circunstâncias. 
Sempre em Cristo
Vinicius

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog Vinicius!

    Ótimo post. Sua visão do evangelho é muito parecida com a minha. Pra mim foi mto útil ler teu post.

    ResponderExcluir
  3. Me encanto este blog. Obrigada Vinicius por seus excelentes escritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Feliza. Volte sempre.

      Abs
      Vinicius

      Excluir
  4. Excelente! Li agora e me ajudou bastante.

    ResponderExcluir
  5. Excelente! Li agora e me ajudou bastante.

    ResponderExcluir