quinta-feira, 27 de setembro de 2012

PESSOAS MUITO BOAS PODEM IR PARA O INFERNO?

Uma pessoa verdadeiramente boa - aquela que não rouba, não mata e cumpre com suas obrigações com a família, no seu trabalho, etc, pode ir para o inferno? A maioria das pessoas, incluindo muitos cristãos, pensa que não, porque alcançar a vida eterna seria uma questão de se comportar bem o suficiente, de ter mérito bastante. Assim, boas pessoas vão para o céu, enquanto o inferno é lugar das pessoas verdadeiramente ruins.

E infelizmente essa percepção leva muita gente a se acomodar e achar que é boa o suficiente, o que é um erro terrível.

A via da Lei
Ser bom o suficiente para alcançar a vida eterna pelos próprios méritos, é chamada de a "via da Lei". Agora, Jesus nos disse que para alcançar a vida eterna seria necessário cumprir dois mandamentos simples: amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo (veja mais).

Agora, vamos fazer uma experiência simples: escolha algumas poucas pessoas que você considera muito boas, além da média, e pode se incluir nesse mesmo rol - esse é seu grupo de avaliação. 

E vamos então analisar se essas pessoas cumprem as duas Leis. A primeira Lei - amar a Deus sobre todas as coisas -, significa que nada deve ter maior importância na vida do que Ele: nem família, nem trabalho, nem amigos, nem o próprio conforto, nem a própria saúde, nem o lazer, nada enfim. Por exemplo, no limite, se o Espírito Santo chamar, a pessoa deve largar tudo e se concentrar em fazer a obra de Deus, como os apóstolos fizeram. Parece difícil? Mas é isso mesmo. 

Agora, examine as pessoas do "grupo de avaliação" e veja se essas pessoas atendem esse segundo requisito.

Vamos pensar então na segunda Lei: amar ao próximo como a si mesmo. Como alguém que ama os outros dessa forma pode dormir numa cama quente sabendo que existem pessoas ao relento? Como pode comer uma boa refeição num restaurante, sabendo que há crianças passando fome naquele mesmo momento?  E assim por diante.

Agora olhe de novo para o grupo de avaliação, incluindo você: essas pessoas perdem o sono com os que não tem casa ou não vão a restaurantes preocupadas com os que não têm o que comer? Provavelmente não.

Sendo assim, nem as melhores pessoas que você conhece, bem como você mesmo, tiram boa "nota" nesse teste simples que Jesus estabeleceu. Na verdade, essas pessoas podem até ser consideradas muito boas apenas em comparação com outras, que fazem ainda menos. Mas, comparadas com os padrões de Deus, nenhuma delas é verdadeiramente boa.

Portanto, nenhuma delas têm mérito próprio para conquistar a vida eterna. E há ainda outro problema com a "via da Lei": se fosse possível juntar mérito para alcançar a vida eterna, quanto mérito seria preciso juntar? Quando a pessoa poderia ter confiança de já ter feito o suficiente? A resposta é nunca.

Assim, se não houvesse outra alternativa além da via da Lei, seria o caso de sentar no meio fio e chorar de desespero.

A via da Graça 
Deus sabe disso e já sabia que seria assim antes de criar o ser humano e lhe dar o direito de escolher entre o bem e o mal (livre arbítrio).

Aí Ele mesmo providenciou uma alternativa: mandou seu Filho ao mundo, para viver entre nós, e morrer pelos nossos pecados. O sacrifício de um homem inocente - Jesus Cristo foi o único ser humano sem qualquer pecado - seria o preço a ser pago pelos nossos pecados (quando não fazemos a vontade de Deus).

Assim, a vida eterna não mais é alcançada por mérito e sim pela Graça de Deus, caracterizada pelo sacrifício de Jesus Cristo. Agora, essa Graça somente opera na vida de determinada pessoa se acontecerem três coisas. Primeiro, ela reconhecer que precisa dessa Graça, isto é que não vai conseguir a vida eterna pelos seus próprios méritos. Em outras palavras, a pessoa tem que reconhecer que precisa ser salva de seus próprios pecados.

Em segundo lugar, a pessoa precisa reconhecer e acreditar que o veículo da Graça de Deus é o sacrifício de Jesus Cristo, nada menos e nada mais.

E, finalmente, ela precisa confessar essa fé em voz alta, dando testemunho sobre ela.

Feito isso, a Graça opera na vida da pessoa e as portas da vida eterna se abrem para ela, enquanto sua fé se mantiver viva (veja mais).  

Concluindo, a resposta para a pergunta que deu início a esse texto é: todas as pessoas verdadeiramente boas irão para o céu, sem dúvida. O problema é que, aos olhos de Deus ninguém é verdadeiramente bom (Romanos capítulo 3, versículos 10 a 12), logo esse caminho não funciona na prática. 

Assim, só nos resta a via da Graça, aberta para nós pela fé em Jesus Cristo (Romanos capítulo 5, versículos 6 a 8).

Com carinho



Nenhum comentário:

Postar um comentário