quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

MAIS UMA VEZ, A QUESTÃO DA INSEGURANÇA

Não deixe de ler o texto sobre insegurança já publicado. (veja mais)

Um dos grandes problemas com a insegurança é que ela muitas vezes se esconde atrás do chamado “falso positivo”. Trata-se de alguma coisa que a pessoa pensa que vai torná-la mais segura, caso seja conseguida. Alguns exemplos: ser magra; ser bonito, ter dinheiro, ter personalidade cativante ou manter aparência jovem. 

A Bíblia tem um excelente exemplo de "falso positivo". Jacó teve duas esposas, Lia e Raquel, mas amava apenas a segunda. Lia era apenas tolerada por ele. Lia era mais velha do que Raquel, era feia e somente tinha conseguido se casar com Jacó por que seu pai, Labão, enganou o pretendente prometendo-lhe entregar Raquel e entregando Lia no lugar dela. 

Assim, tudo contribuía para que Lia se sentisse insegura em relação ao marido e essa foi uma carga que ela carregou por toda a vida. Lia então criou um "falso positivo": se ela desse muitos filhos a Jacó, o marido acabaria por amá-la. Ela teve uma penca de filhos, mas isto não resolveu o problema, para sua grande tristeza (Gênesis capítulo 29, versículos 32 a 34). 

Na verdade, Lia tinha um relacionamento que nasceu torto e que nunca pode ser reparado e não eram filhos que iriam mudar a situação. Lia foi respeitada pelo marido (acabou enterrada ao lado dele), mas nunca foi amada como gostaria. 

Os "falsos positivos" não passam de uma fonte de autoengano para aqueles que sofrem com insegurança. Parecem conter a solução, mas são vazios de significado. Alcançar um "falso positivo", como Lia bem descobriu, é como colocar um dedo no vazamento de uma represa: o vazamento para ali, onde o dedo foi colocado, mas vai continuar em outro local. 

O problema da insegurança é estrutural e não é alguma coisa que possa ser obtida que vai mudar essa situação. E a pessoa acaba descobrindo isto quando eventualmente consegue obter o "falso positivo" e vê que a situação não muda como ela esperava. E aí se frustra e acaba ficando ainda mais insegura. 

Um pequeno exercício mental poderá ajudar você a descobrir alguns dos seus falsos positivos: pense numa pessoa do mesmo sexo que imagina ser segura, bem mais do que você mesmo. Depois, tente avaliar o que ela tem mas você não (pelo menos não na mesma medida), que a torna mais segura do que você é. Isso tende a ser um falso positivo seu.
 
Se você se sente muito inseguro em alguma área da sua vida (relações pessoais, emprego, etc), não caia no erro de achar que você vai conseguir resolver isto com "falsos positivos". Não espere que coisas materiais, circunstâncias, relacionamentos, etc, lhe tragam a segurança tão desejada. 

Convença-se que não é possível se sentir seguro sem Deus. Ele é a sua verdadeira segurança. Nada mais pode ter esse efeito em sua vida.

Deixe Deus lhe dizer quão importante você é. Afinal, Ele mandou seu filho para morrer por você e lhe dar acesso á salvação (João capítulo 3, versículo 16). E também deixe que Ele trate sua insegurança e abra novos caminhos para sua vida! 


Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário