quinta-feira, 20 de junho de 2013

MAIS UMA DESCOBERTA QUE CONFIRMA A BÍBLIA

Talvez você não saiba mas há inúmeras comprovações arqueológicas dos relatos bíblicos. E uma delas é impressionante: foram encontrados os ossos de um importante personagem citado no Novo Testamento, que viveu cerca de 2.000 anos atrás! 

E aí vai a história dessa descoberta. Em novembro de 1990, estava sendo feita uma escavação na região que fica ao sul da "esplanada do Templo", a região elevada onde ficava o Templo de Jerusalém, construído por Herodes, na época de Jesus - hoje existe ali uma mesquita e o Domo da Rocha, ambos sagrados para os muçulmanos.

O trator sendo usado naquela escavação afundou um pouco no terreno e, imediatamente, foram chamados os arqueólogos, que encontraram um buraco no chão com dez ossuários - caixas de pedra usadas para colocar ossos de pessoas mortas. 

Os arqueólogos perceberam que se tratavam de ossuários datados do século primeiro da época cristã - para fins de comparação, Jesus foi morto entre os anos 30 e 33 desse mesmo século. Naquela época, acabaram os espaços para enterrar pessoas no monte das Oliveiras e aí os judeus começaram a enterrar os mortos em locais provisórios, para depois remover os ossos e colocá-los em ossuários, ocupando muito menos espaço. Se Jesus não tivesse ressuscitado, é isso que teria sido feito com seus ossos.

Um dos ossuários encontrado chamou imediatamente a atenção, por ser muito bonito e delicadamente adornado com rosáceas. Veja as imagens abaixo:






Examinando a caixa, os arqueólogos encontraram uma inscrição contendo o nome da pessoa cujos ossos tinham sido ali colocados: José filho de Caifás - veja a inscrição abaixo. 



Os ossos pertenciam a um homem de cerca de 75 anos e os exames com carbono 14 indicaram que a pessoa viveu no primeiro século da época cristã. 

Ora a Bíblia nos conta que o sumo-sacerdote líder do julgamento de Jesus (Mateus capítulo 26, versículos 57 a 68 e João capítulo 18, versículos 19 a 27) era chamado Caifás. Ou seja, foram os restos dele que foram encontrados. Esse ossuário está hoje num Museu em Israel e pode ser visto por qualquer um.  

Muitos historiadores contrários ao crisitianismo defendiam que o tal Caifás nem tinha exisitido e era invenção do Novo Testamento - esses ficaram sem argumento. E os que aceitavam a figura de Caifás como histórica, essencialmente os cristãos, viram suas ideias confirmadas integralmente.   


Com carinho

2 comentários: