terça-feira, 8 de outubro de 2013

PRISCILA E ÁQUILA: CONSTRUTORES DE IGREJAS

Prisca (no diminutivo, Priscila) e Áquila formaram o casal mais famoso da Igreja Apostólica. Foram hospedeiros de Paulo em Corinto (Atos capítulo 18, versículos 2 e 3) e depois dirigiram igrejas tanto em Éfeso (1 Coríntos capítulo 16, versículo 19) como em Roma (Romanos capítulo 16, versículos 3 a 5). Sua presença proeminente nessas três importantes comunidades cristãs daquela época dá uma idéia do seu peso na história da Igreja Apóstólica. 

Curiosamente, das seis vezes em que o casal é citado no texto bíblico, em quatro delas o nome de Priscila aparece antes do de Àquila, provando que a esposa era a personalidade mais importante do casal.

Áquila (águia em latim) era um judeu originário do Ponto, cidade localizada ao sul do mar Negro, que imigrou para Roma, onde sua profissão de fabricante de tendas era muito requisitada. Essa profissão, na qual trabalhava com sua mulher, lhes garantiu um sustento confortável. 

Converteram-se ao cristianismo mas foram expulsos de Roma, por um decreto do imperador Cláudio, provavelmente no ano de 41 (Atos capítulo 18, versículo 2). A alegação do imperador foi que a comunidade cristã perturbava a ordem pública, talvez como consequencia das discordâncias que existiam entre cristãos e judeus.

O casal acabou se estabelecendo em Corinto, onde encontrou Paulo, que chegou ali por volta do ano 50. A profissão comum (Paulo também fabricava tendas) deve tê-los aproximada e os três passaram a trabalhar juntos na residência do casal. Quando Silas e Timóteo se juntaram a Paulo,  eles trouxeram uma doação em dinheiro (Filipenses capítulo 4, versículo 1 e  2 Coríntios capítulo 11, versículos 8 e 9) que permitiu ao apóstolo dedicar-se em tempo integral à pregação do Evangelho de Cristo.

Priscila e Áquila tiveram papel muito importante na formação da igreja em Corinto. Mais adiante, de forma muito corajosa, o casal deixou sua clientela, formada ao longo de 10 anos, e foi para Éfeso, acompanhando Paulo, onde ficou para preparar a volta do apóstolo (ocorrida quando da sua terceira viagem missionária). Isto demonstra a dedicação que o casal teve com as coisas de Deus, justificando o reconhecimento que Paulo sempre tributou a eles. 

Mais adiante, foram para Roma e não é por acaso que Paulo também desejava ir para lá - mais uma vez o casal foi parte do grupo precursor do apóstolo (Romanos capítulo 1, versículos 10 a 13 e capítulo 15, versículo 24). Não sabemos quanto tempo eles permaneceram em Roma, já que depois aparecem novamente em Éfeso (2 Timóteo capítulo 4, versículo 19). 

Concluindo, Priscila e Àquila são exemplos de trabalhadores na obra de Deus. Primeiro, por sua dedicação e fidelidade, não se cansando de abrir portas para o apóstolo Paulo e também de pastorear o rebanho de cristãos que foi se formando nos locais onde habitaram. 

Depois, porque deram o exemplo de como trabalhar em conjunto na obra de Deus, sem vaidades, apoiando-se mutuamente e ao apóstolo Paulo. E é especialmente interessante perceber que naquele casal a mulher era mais importante na obra do que o marido. 

Isso serve para demonstrar para aqueles que ainda defendem a primazia dos homens na obra de Deus - infelizmente um grupo grande de cristãos -, que essa postura está errada. Mulheres têm o mesmo papel e direitos na obra de Deus que os homens, pois Ele não faz acepção de gênero e usa quem desejar. 

Com carinho   

Nenhum comentário:

Postar um comentário