quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

SABER RECEBER É TÃO IMPORTANTE QUANTO DAR

Na noite em que comeu a última ceia com seus discípulos, logo antes de ser preso, Jesus lavou os pés dos homens que estavam com Ele (João capítulo 13, versículos 1 a 16). Ora, a lavagem dos pés de terceiros era tarefa muito humilde, normalmente reservada apenas aos servos (escravos). E, ao se submeter a ato que parecia humilhante, Jesus quis ensinar humildade e amor para seus discípulos. 

Mas é interessante perceber que Pedro se recusou a participar da cerimônia do "lava pés", pois julgou que Jesus se colocava em posição indigna e isso depunha contra seu ministério. Agora mais inesperada foi a reação de Jesus. Ele disse a Pedro que, se não participasse do "lava pés", deixaria de ser um discípulo. Diante de tal ameaça, Pedro concordou. 

Mas por que Jesus reagiu de forma tão dura? A resposta para essa pergunta precisa levar em conta o fato de que é difícil receber. Muitos pensam que o difícil é dar e receber muito mais fácil. Nada mais longe da verdade. 

Por exemplo, sabemos que é muito mais fácil dar conselhos do que recebê-los. Damos conselhos expontâneamente, mesmo a quem não nos pede. Mas quando os outros tentam nos dar conselhos, muitas vezes nos recusamos a aceitá-los. 

O ato de saber receber não é simples porque requer humildade. Para conseguir receber, é preciso ter consciência de precisar de algo que não é possível obter por conta própria. Saber aceitar a ajuda necessária. 

No ato de receber, está implícito o reconhecimento da nossa própria fragilidade, a realização do fato de que somos incompletos e imperfeitos. Foi por isso que o conhecido teólogo Henri Nouwen ensinou que receber é uma arte, pois significa permitir que outras pessoas façam parte das nossas vidas

Dar é muito importante, fundamental mesmo. Mas também é preciso saber receber. Afinal, aqueles que se preocupam apenas em dar, podem se tornar orgulhosos e se sentir independentes demais. 

Jesus reagiu à atitude de Pedro porque percebeu no apóstolo um orgulho disfarçado, uma recusa pecaminosa em receber. E cortou o mal pela raiz.

Agora, o maior exemplo de não saber receber tem a ver com o sacrifício de Jesus, quando nos deu seu corpo e sangue para que tivessemos acesso à salvação. Muitas pessoas não aceitam Jesus como Salvador pois acham que não precisam ser salvas - já são suficientemente boas e não precisam de qualquer oferta de ajuda. Uma grande pena.

Com carinho  

Nenhum comentário:

Postar um comentário