domingo, 2 de março de 2014

SABENDO USAR, NÃO VAI FALTAR

Uma pessoal responsável com seu dinheiro procura usá-lo de maneira consciente, levando em conta que seus recursos são limitados e podem ser necessários em momentos de necessidade. Vem daí o ditado: "sabendo usar, não vai faltar". 

Talvez porque estejam acostumadas a agir assim com seu dinheiro, as pessoas acabam usando critérios semelhantes para lidar com seu "patrimônio" emocional. Tratam seus bons sentimentos - amor, compaixão, generosidade, etc - como se precisassem economizá-los. Mas a Bíblia ensina que não é assim. 

Quanto mais exercitamos os bons sentimentos, maior disponibilidade deles passamos a ter. Em outras palavras, quanto mais usamos nosso "patrimônio" espiritual, maior esse "patrimônio" acaba ficando. Quem aprende a amar mais e mais, terá mais amor para repartir quando houver necessidade. Simples assim. 

Portanto, não há qualquer razão prática para "economizar" no uso desses sentimentos, como se faz com o dinheiro. São lógicas totalmente diferentes. 

Agora, como as pessoas pensam que precisam "economizar" no uso dos seus bons sentimentos, procuram usá-los apenas em situações onde esperam bom retorno para seu eventual "investimento". Ou seja, "investem" seus sentimentos quando acham que vão receber algo de igual "valor" em troca. E as pessoas não agem assim apenas umas com as outras, mas também com Deus (veja mais). 

Por exemplo, quando um casal enfrenta uma crise de relacionamento, normalmente precisa mudar comportamentos pessoais, deixando de lado hábitos nocivos para a relação. E é muito comum ouvir os parceiros confessarem estar preparados para fazer concessões, "investindo" mais na relação, se a outra parte fizer o mesmo - e, como se cada um(a) ficasse esperando pela ação do outro(a). Aí acabam fazendo menos do que poderiam e o relacionamento fica empobrecido.

Ninguém deveria esperar receber algo em troca para fazer aquilo que é bom. Se as pessoas amarem mais, tiverem mais compaixão, forem mais generosas e assim por diante, serão seres humanos melhores. E isso deve ser buscado independentemente de qualquer retribuição que possam receber. 

A pessoa deve ser correta não porque os outros com quem convive são corretos de volta, mas porque esse precisa ser um valor sempre presente na sua vida. A pessoa deve dar o máximo de amor que puder, não para receber amor em troca, mas porque esse é um mandamento de Deus. E assim também deve ser com a compaixão, a misericórdia e outros sentimentos importantes. 

Não "economize" no uso dos seus sentimentos bons. Use-os o máximo que conseguir, sem esperar retorno. Use-os por que isso fará de você uma pessoa melhor, mais de acordo com a vontade de Deus. Essa deve ser sua verdadeira motivação. Sempre.

Se você tiver retorno para o que tiver feito, melhor ainda. Senão, lembre-se que terá cumprido bem seu papel como cristão(ã) e isso já deve ser recompensa suficiente.

Com carinho  

Nenhum comentário:

Postar um comentário