segunda-feira, 30 de junho de 2014

O MUNDO FÍSICO E O MUNDO ESPIRITUAL

"E sonhou: Eis posta na terra uma escada, cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela."    Gênesis capítulo 28, versículo 12  
Talvez você não tenha se dado conta mas há um mundo além do mundo físico. Trata-se do "mundo espiritual". O mundo físico é onde vivemos, sendo caracterizado por quatro dimensões - altura, largura, comprimento e o tempo - e regulado pelas leis da natureza, como gravidade, termodinâmica e outras. 

mundo espiritual existe em paralelo a esse no qual vivemos, mas é tão real quanto o primeiro, embora seja regido por regras diferentes. 

Os dois mundos têm pontos de contato entre si, embora sejam separados e tenham vidas independentes. Há momentos em que os dois estão separados, mas há outros em que estão intimamente conectados. Por exemplo, o texto acima relata um sonho que Jacó, filho de Abraão, teve. Ele "viu" uma escada por onde anjos subiam e desciam - esses seres espirituais saiam de um mundo e entravam no outro, desempenhando as tarefas que Deus lhes tinha encomendado. Jacó viu foi uma ampla "janela" aberta entre os dois mundos. 

A Bíblia relata diversos momentos de grande proximidade entre os dois mundos. Um bom exemplo é o episódio do nascimento de Jesus, quando os anjos entoavam hinos de louvor (Lucas capítulo 2, versículos 8 a 14). Outro exemplo é o momento quando Deus deu os Dez Mandamentos para Moisés no Monte Sinai (Êxodo capítulo 24). 

Mas também há relatos de épocas em que essa distância ficou grande, como no período anterior ao dilúvio, quando o pecado estava generalizado e Deus ficou muito zangado (Gênesis capítulo 6, versículos 11 a 22). Outro exemplo, é o chamado período "inter-testamentário", ou seja os duzentos anos da história de Israel que não é coberto nem pelo Velho nem pelo Novo Testamento - aproximadamente do ano 200 AC até o nascimento de Jesus. 

As decisões que Deus toma no mundo espiritual, como enviar anjos para nos ajudar ou escolher um profeta para levar uma mensagem para seu povo, acabam tendo reflexo no mundo físico. Acho que isso é fácil de entender e aceitar. 

Agora, já não é tão fácil de entender e aceitar que o contrário também seja verdadeiro: o que acontece no mundo físico também tem consequências no mundo espiritual. Como prova, cito uma declaração de Jesus dirigida para o apóstolo Pedro:
"Dar-te-ei as chaves do reino dos céus: o que ligares na terra, terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra, terá sido desligado nos céus."     Mateus capítulo 16, versículo 19  
Para entender o que Jesus quis dizer, é preciso reconhecer que há pessoas com autoridade espiritual sobre outras. Por exemplo, a Bíblia é clara que os pais têm esse tipo de autoridade sobre os próprios filhos e podem abençoá-los ou amaldiçoá-los. Tanto é assim, que a benção de Deus foi passada de pai para filho na família de Abraão - ela era tão importante que Jacó teve um enorme trabalho para enganar Isaque, seu pai, e roubar a benção que iria para seu irmão gêmeo, Esaú (Gênesis capítulo 27, versículos 1 a 29).

Maridos e esposas também têm autoridade espiritual uns sobre os outros. E também os pastores podem ter esse tipo de autoridade sobre seu rebanho de fiéis.

E uma pessoa com autoridade espiritual pode gerar consequências espirituais sobre a vida das pessoas sobre a qual tem esse tipo de influência. Foi isso que Jesus explicou na declaração que fez a Pedro, ao dar-lhe autoridade espiritual sobre determinada comunidade de cristãos - decisões espirituais que Pedro viesse a tomar sobre seus liderados, teriam consequência também no mundo espiritual.

Imagine o caso de um pai dizendo abertamente para todos que seu filho não vai se dar bem na vida porque é pouco inteligente - conheço um caso exatamente assim. Além de causar um impacto emocional sobre a criança, esse pai também está lançando um veredicto espiritual (maldição) sobre a vida do filho, mesmo que não seja essa a sua intenção. 

Não tenho espaço para esgotar esse assunto em um único post e, portanto, voltarei a ele em outras oportunidades. Mas você precisa saber que esses dois mundos - físico e espiritual - existem e que um influencia o outro. 

E isso tem consequências importantes na vida das pessoas. Assim, por exemplo, é errado deixar os assuntos espirituais restritos aos momentos em que você passa na igreja, no fim de semana. As questões espirituais certamente irão impactar sua vida secular - seu emprego, suas amizades, seu lazer, etc. 

Da mesma forma, o que você faz no seu dia a dia tem grande impacto na sua vida espiritual. Se você se esquece daquilo que Jesus ensinou, quando vive sua vida física, não pode esperar que sua vida espiritual deixe de sofrer - não há como separar uma coisa da outra.

Com carinho 

Um comentário: