quarta-feira, 2 de julho de 2014

A QUEM MUITO FOI DADO...

"...Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão."   Lucas capítulo 12, versículo 48
No texto acima Jesus estabeleceu um princípio muito importante: seremos cobrados por Deus na mesma medida em que tivermos recebido bençãos d´Ele. Quem recebe mais, passa a ter responsabilidade maior em relação ao Reino de Deus. Simples assim. E acho que ninguém pode contestar a justiça dessa declaração.

Mas quais são as consequências desse ensinamento para a sua vida?

As bençãos como ponto de partida
Antes de qualquer coisa, é preciso entender quais são essas bençãos às quais Jesus se referiu. Trata-se de qualidades, recursos e talentos que a pessoa recebe de Deus durante sua vida. É claro que a pessoa abençoada ainda assim será responsável por desenvolver aquilo que recebeu gratuitamente. Por exemplo, se alguém receber de Deus um talento especial para música, ainda assim vai ter que estudar anos a fio antes de conseguir se tornar um músico de qualidade. Sendo assim, a pessoa terá sua parcela de mérito naquilo que vier a conseguir ao longo da sua vida com base na sua música. Agora, a "matéria prima" - qualidade, recurso ou talento - recebida gratuitamente de Deus será sempre a base de tudo. 

Portanto, sem a benção a pessoa nada irá conseguir, não importa o quanto venha a se esforçar. E as palavras de Jesus nascem exatamente dessa constatação. 

As áreas de bençãos
O ser humano pode ser abençoado em muitas áreas. A primeira delas é no seu corpo, que pode ser agraciado com beleza e/ou habilidades físicas especiais. Pessoas bonitas têm uma série de possibilidades não disponíveis para seres humanos, digamos assim, mais comuns - trabalho no cinema, na televisão, na modelagem de moda e em áreas afins, onde a beleza tem grande importância. E habilidades físicas especiais - força física e velocidade - permitem a algumas pessoas serem atletas de alto rendimento, dançarinos profissionais, etc.

A segunda área abrange os talentos intelectuais, nos seus vários aspectos, que permitem a algumas pessoas tornarem-se cientistas importantes, escritores famosos, compositores populares, marqueteiros de talento, etc. 

A terceira área onde as bençãos podem afluir é a espiritual - já comentei aqui que o Espírito Santo distribui dons espirituais de acordo com sua vontade, sempre com o objetivo de dar poder às pessoas para fazer a obra de Deus (veja mais). E há dons especialmente valorizados pelas pessoas, como a profecia ou a capacidade de curar.  

O uso das bençãos
Não há dúvida que bençãos físicas, intelectuais e/ou espirituais costumam dar condições às pessoas que as recebem de ocupar papel de destaque na sociedade, muitas vezes gerando com isso fama, dinheiro e/ou poder. 

E aqui chegamos ao ponto principal desta discussão: a responsabilidade que cada pessoa tem de usar corretamente as bençãos que recebe. Sem esquecer que quem mais recebe, adquire responsabilidades maiores.

Por conta disso, diversas perguntas tornam-se de grande relevância. Será que a pessoa... :  
  • usa suas bençãos de forma egoísta, apenas para proporcionar uma vida boa para si mesma ou prioriza também aqueles que são menos afortunados? 
  • abusa do seu próprio corpo, exigindo dele mais do que deveria? 
  • usa seus dons espirituais para fins pessoais, visando desenvolver a própria fama, fazer crescer a igreja que dirige e/ou enriquecer? 

São questões como essas que você precisa considerar. 
Será que você vem usando suas bençãos de forma adequada? Será que você está alegrando ou decepcionando Deus com sua forma de agir? 

Com carinho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário