quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O VERDADEIRO "SAL DA TERRA"

Jesus, durante o Sermão do Monte, disse que seus seguidores deveriam ser “o sal da terra” (Mateus, capítulo 5, versículo 13). E o sal, naquela época, era muito importante pois não só dava sabor como ajudava a conservar os alimentos.  

Hoje essa expressão perdeu seu significado original e passou a ser "abusada" pela mídia em geral. Por exemplo, tempos atrás o jornal Irish Sun, da Irlanda, disse que Angelina Jolie era o “sal da terra”, relembrando as campanhas humanitárias conduzidas pela atriz. Já o jornal Montreal’s Gazette, do Canadá, disse que o jogador de hóquei Brenden Morrow, líder do time campeão olímpico de inverno em 2010, era o “sal da terra” por sua bravura e resistência.  O jornal inglês Guardian contou que o clube de futebol Burnley tem na sua declaração de princípios: “Nós somos básicos, sal da terra... um clube que tem sensibilidade para o momento atual de dificuldades da Inglaterra e que pode ser o segundo time de todos...” A prefeitura de uma cidade da Nova Zelândia propôs o seguinte slogan para a comunidade: “Hastings — sal da terra”.

A pessoa que é verdadeiramente o "sal da terra" não é bonita, charmosa, vitoriosa, carismática ou mesmo quem faz boas obras para gerar imagem favorável na mídia. "Sal da terra" é quem contribui para a implantação do reino de Deus neste mundo. Trata-se de alguém que luta contra a pobreza, injustiça, desigualdade social, etc, sem se preocupar em aparecer ou ganhar recompensas. É também quem fala de Jesus e contribui para colocar as pessoas no caminho da salvação. 

“Sal da terra” foi Paulo, que levou o Evangelho a locais longínquos do Império Romano e sofreu muito para desempenhar sua missão. Foi também John Wesley, que andou de cavalo o equivalente a três voltas ao mundo para pregar a palavra de Deus na Inglaterra e, nesse processo, mudou a história daquele país. Foi ainda Albert Schweitzer, artista e filósofo renomado, que deixou a vida de conforto na Europa para ser médico de leprosos no interior da África.

São “sal da terra” os milhares de abnegados que pregam o Evangelho diariamente em cadeias, hospitais e comunidades carentes, levando consolo e ajuda aos desesperados. Finalmente, também é "sal da terra" o pai de duas meninas que perdoou o assassino das filhas atendendo o mandamento de Jesus (veja mais).

Que você possa ser uma pitada de “sal da terra” num mundo cada vez mais precisado da mensagem verdadeira de Jesus e da presença do Reino de Deus.

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário