segunda-feira, 17 de novembro de 2014

SERÁ QUE TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS?

Nesses dias li a entrevista que uma artista da Rede Globo deu, falando sobre uma novela que acabou de estrear. Como está ficando cada vez mais comum, a tal novela apresenta uma visão do mundo baseada na doutrina espírita e esse era o tema da entrevista.

Essa atriz vai fazer o papel da mocinha da estória, que se envolve pesadamente com experiências espíritas. Ela disse que está se sentindo muito bem porque acredita em todo tipo de experiência espiritual. Completou sua declaração dizendo que quem defende haver apenas uma fé verdadeira (como é o caso dos cristãos) demonstra ter mente estreita e intolerante.

A posição que essa atriz defende é muito comum e pode ser resumida na famosa frase: "todos os caminhos levam a Deus". Essa tese pode ser simpática e até parece boa, por expressar respeito pelo próximo, mas o problema é que está errada. 

E se for aceita pelas pessoas, pode levá-las a tomar decisões ruins. E, portanto, ser contra ela e combatê-la não é uma posição intolerante - trata-se apenas de estabelecer a verdade dos fatos e de proteger as pessoas. 

Nem todas as crenças podem ser verdadeiras
É fácil de perceber que nem todos os caminhos espirituais existentes podem estar certos. Isso é logicamente impossível. E explico a razão.  

Se olharmos para o conjunto de religiões existentes, fica evidente a grande diversidade de concepções do mundo espiritual que elas defendem. Algumas falam de uma força impessoal que não tem plano de ação ou vontade própria. Outras, como o cristianismo, entendem que Deus é um Ser racional, com vontade e emoções próprias, que criou e controla tudo que existe. Existem ainda as religiões politeístas, que defendem a existência de inúmeros deuses - os hinduístas adoram centenas deles -, cada um(a) com seu papel e área de atuação no campo espiritual.

A diversidade de crenças é até maior do que esse resumo simples mostra. Mas o que falei já basta para demonstrar que as diversas crenças se contradizem na forma como vêem o funcionamento do campo espiritual. Sendo assim, não é possível que todas elas estejam certas e afirmar que todos os caminhos espirituais levam ao fim desejado contraria a lógica. 

Afinal, se existe um único deus, quem afirma existir muitos deuses está errado. E vice versa. Se alguém adora um deus com vontade própria e raciocínio, não pode também acreditar que a base de tudo é uma força impessoal. E vice versa.

Palavras finais

As contradições entre as várias crenças obrigam necessariamente que alguém esteja certo e alguém errado. É impossível, em termos lógicos, que todas as religiões estejam igualmente certas. E não há como fugir disso. 

Portanto, afirmar que há crenças certas e outras erradas pode não ser simpático mas é a coisa certa a fazer. E quem defende a igualdade de todos os caminhos espirituais, como a artista que citei no começo deste post, não parou para pensar bem no significado dessa afirmação ou, o que é ainda pior, sabe que está contrariando a lógica e segue em frente, porque essa é uma posição simpática.  

A consequência direta de tudo isso é que as pessoas precisam ser incentivadas a encontrar o caminho espiritual certo. Precisam acreditar na coisa certa. Afinal, defender a igualdade de todos os caminhos torna as pessoas abertas a experiências que deveriam evitar. 


Agora, se há doutrinas espirituais certas e erradas é preciso procurar a verdade. Assim é razoável que o cristianismo seja questionado por aqueles que pensam diferente. Como também que os cristãos questionem as outras doutrinas. E não há nada de intolerante nisso. 

Antes de terminar é preciso deixar claro que eu não falei nada aqui para comprovar ser o cristianismo a doutrina verdadeira. Mas tenho inúmeros outros escritos no blog que tratam exatamente disso. Hoje quis apenas mostrar que a afirmação "todos os caminhos levam a Deus" é errada e perigosa. 

Com carinho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário