quarta-feira, 8 de abril de 2015

AS CRIANÇAS SÃO CAPAZES DE TER FÉ?

"Ensina a criança no caminho que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele"     Provérbios capítulo 22, versículo 6
Os pais devem ensinar desde cedo para as crianças as coisas do cristianismo? Ou devem deixar que elas cresçam e façam suas próprias escolhas quando maiores?  

O livro "Born believers: the science of children's religious belief” ("Nascidos crentes: a ciência da crença religiosa"), escrito pelo psicólogo Justin Barrett, professor do Seminário Teológico Fuller, apresenta os resultados de um estudo feito a respeito dessa questão. E os resultados concordam inteiramente com os ensinamentos da Bíblia, resumidos no versículo que abre este post. isto é, é importante sim ensinar as crianças desde cedo os caminhos do cristianismo.

O estudo demonstrou que Deus é um conceito presente na vida das crianças desde muito cedo, independentemente da ação dos pais. As crianças nascem com mentes receptivas à ideia de Deus e é natural para elas o conceito de um Criador para tudo que nos rodeia.

A pesquisa mostrou também que as crianças têm pré-disposição para ver o mundo natural como tendo um propósito. Elas percebem que há uma ordem na natureza e intuem que essa ordem não apareceu por acaso. Mas não conseguem sozinhas discernir quem produziu tal ordem. Na verdade, as crianças procuram automaticamente encontrar o Criador.

E não se trata de uma crença infantil, como aquela que elas desenvolvem em Papai Noel. A pesquisa mostrou que há diferenças importantes entre a crença em Deus e no "bom Velhinho". Para as crianças, esse personagem é como um super-herói, que produz alguns efeitos no mundo, mas sua importância é restrita. Definitivamente Papai Noel não preenche o espaço conceitual de um Criador do mundo.

Tudo isso demonstra mais uma vez que a Bíblia está certa: os pais têm responsabilidades importantes na educação das crianças. E a primeira delas é falar com elas sobre Deus. Explicar-lhes quem é esse Ser todo poderoso, onipresente, etc. Daí pode se caminhar, aos poucos, para fazê-las entender quem é Jesus e sua importância para a humanidade. 

É óbvio que as crianças, depois de crescerem, farão suas próprias escolhas. Mas se não tiverem desenvolvido a noção natural de Deus, que tinham quando muito jovens, outras coisas irão preencher esse espaço. Se os pais não falarem de Deus para seus filhos(as), outros agentes (professores, televisão ou colegas) vão ocupar esse espaço e irão transferir seus próprios conceitos para as crianças.

O segundo ensinamento proporcionado pelo estudo é que as crianças não têm qualquer dificuldade para entender Deus. O fato é que conceitos que parecem difíceis para os adultos podem ser fáceis para elas. Por exemplo, as crianças aprendem novas línguas ou música com muito maior facilidade do que os adultos. O mesmo se dá em relação a aos atributos de Deus. 

Portanto, se as crianças não forem ensinadas sobre Deus até por volta dos 8 anos, uma grande oportunidade terá sido perdida. 

O terceiro ensinamento está relacionado com o exemplo que os pais precisam dar. As crianças precisam ver os adultos nos quais se espelham praticando a religião que lhes é ensinada. Elas precisam entender que o cristianismo é uma parte orgânica da vida dos seus pais, presente no seu dia a dia, e não algo meio separado, artificial, que se faz presente somente quando a família vai à igreja aos domingos.

E é aí que as crianças aprendem a diferença entre saber sobre Deus e ter um relacionamento com Ele, que o torna presente no dia-a-dia da vida humana. 

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário