quarta-feira, 6 de maio de 2015

COISAS QUE A BÍBLIA NÃO FALA...

As pessoas pensam que a Bíblia fala diversas coisas que de fato não fala. Mas, por acreditarem, erradamente, que tais conceitos são bíblicos, as pessoas moldam suas vidas de acordo com eles. E isso pode virar um problema. 

Para ajudar você a separar o "joio" do "trigo", discuto a seguir cinco declarações muito conhecidas que parecem ser verdadeiras, sendo apoiadas pela Bíblia, mas não o são:

1. Deus ajuda quem se ajuda
Não há nenhuma declaração bíblica estabelecendo que Deus somente ajuda aqueles que ajudam a si mesmos

É claro que a Bíblia diz que precisamos cumprir nossas obrigações. Mas isso, por si só, não tem sempre como consequência as bençãos de Deus. 

Imaginar que uma coisa - cumprir obrigações - estaria subordinada à outra - a ajuda de Deus - seria equivalente ao caso dos pais que prometem prêmios para seus filhos(as) estudarem e passarem de ano. Coisa muito errada.

Devemos cumprir nossas obrigações porque isso é nossa responsabilidade, mas não devemos esperar receber de Deus qualquer prêmio por causa disso. Simples assim.

Agora, a Bíblia tem sim promessas para aqueles(as) que decidem fazer uma determinada coisa: "morrer para si mesmo" e seguir Jesus (Mateus capítulo 16, versículos 24 e 25). Em outras palavras, há promessas sim para quem coloca Jesus em primeiro lugar na sua vida, à frente mesmo do seu conforto e das suas necessidades, o que é coisa bem diferente.

2. Deus quer que sejamos felizes
A Bíblia nem discute o conceito de felicidade conforme o entendemos hoje em dia - ter nossas necessidades e desejos preenchidos. O que a Bíblia fala sim é sobre nosso bem (Romanos capítulo 8, versículo 28), coisa bem diferente de felicidade. 

Até porque aquilo que pensamos irá nos tornar felizes não é necessariamente o melhor para nós. Não é aquilo que vai nos fazer bem.

E Deus sabe mais e melhor aquilo que nos fará bem de fato. Até porque nos conhece melhor do que ninguém, até nós mesmos. Por causa disso suas escolhas para nós frequentemente não são aquelas que faríamos por conta própria. Às vezes Deus nos leva por caminhos que inicialmente não queremos trilhar - e somente mais tarde, com a passagem do tempo, vamos entender a razão para essa orientação vinda d´Ele. 

3. Todos somos filhos de Deus
Todos somos criaturas de Deus, parte da sua criação. O único Filho de Deus é Jesus - a Bíblia é clara a esse respeito, pois o chama de Unigênito ("o único gerado").

Agora, quando aceitamos Jesus como nosso Salvador, viramos filhos(as) de Deus por adoção (Romanos capítulo 8, versículos 15 e 16). E aí passamos também a ter direito à sua "herança", isto é a viver eternamente junto a Ele. 

4. Deus não nos deixa passar por mais do que podemos suportar
Esse pensamento conforta muito, mas infelizmente não é verdadeiro. Por exemplo, em 2 Coríntios (capítulo 1, versículo 8) o apóstolo Paulo declarou claramente que a tribulação pela qual passara esteve além das suas forças.

E não há nenhuma razão para imaginar que os problemas que vão aparecer à nossa frente estarão limitados àquilo que vamos conseguir aturar. Isso simplesmente não é verdade. E um exemplo comprova bem isso. Milhões de judeus e cristãos foram massacrados durante o domínio nazista na Segunda Guerra Mundial. As maldades cometidas com eles foram diabólicas. Sem dúvida essas pessoas receberam uma carga acima do que podiam suportar.

Mas, se a vida pode nos apresentar uma carga além das nossas forças - como fez com o apóstolo Paulo -, qual a esperança que podemos ter? O que a Bíblia nos promete mesmo é que teremos Deus ao nosso lado, sempre, mesmo nos momentos mais difíceis. 

O Salmo 23 diz que ainda que andemos pelo "vale da sombra da morte" não precisamos temer porque Ele estará ao nosso lado. Sozinhos não poderíamos suportar certas coisas que a vida nos traz, mas com a ajuda do Espírito Santo, tudo fica diferente. Passamos a ter forças que vão além das nossas próprias. 

5. Coisas ruins não podem acontecer com pessoas boas
Quando falamos de uma pessoa boa, basicamente pensamos em alguém que não rouba, não mente, não adultera e honra seu pai e mãe, dentre outras coisas. Provavelmente essa pessoa vai à igreja todos os domingos, dá o dízimo religiosamente e toma sempre a Santa Ceia. 

Tal pessoa parece boa porque demonstra ser melhor do que tantas outras que conhecemos. Parece estar mais de acordo com a imagem de Cristo. 

E por ser boa, aos nossos olhos, não parece justo que Deus permita que elas passem por coisas ruins. E quando isso acontece, ficamos perplexos. Por que Deus permite que isso aconteça?

Parece ser um paradoxo, mas não é. A questão real é a definição de "pessoa boa". Aquelas pessoas que são boas aos olhos dos demais seres humanos podem não o ser aos olhos de Deus (Romanos capítulo 3, versículo 10). Até porque Ele é um ser perfeito e santo, coisa que não somos. Os padrões morais de Deus não são alcançáveis por nenhum ser humano - todos somos pecadores(as) em alguma medida. E é por isso que todos(as) precisamos ser salvos(as). 

Portanto, não é por merecimento que qualquer um(a) de nós pode ser poupado de sofrimento. E se isso acontece, é apenas por causa da Misericórdia e da Graça de Deus. Só isso.

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário