segunda-feira, 15 de junho de 2015

APRENDENDO A AMAR A DEUS

"Amar a Deus de todo coração e entendimento", como a Bíblia pede para fazermos, não é tarefa trivial. Afinal, trata-se de construir um relacionamento especial com um Ser que não se vê e possui características muito diferentes (é um Espírito, está fora do tempo, etc).

Como, então, fazer para aprender a amar a Deus? Vou começar a responder recorrendo a uma metáfora: imagine que dois jovens (João e Maria) se conhecem e demonstram interesse mútuo. Como é normal, começam sua caminhada de forma exploratória: encontram-se algumas vezes para conversarem e se conhecerem melhor. E vão construindo seus laços afetivos aos poucos. 

Nesse processo vão juntando informações mútuas: sobre família, passado amoroso, gostos (comida, música, lazer, etc), sonhos, convicções religiosas, time de futebol preferido e outras coisas assim. Tudo isso vai ajudar a cada um deles a compor um quadro mental sobre quem é a outra pessoa.

Agora, imagine que João, embora tenhas boas intenções, diga para Maria: "não vamos perder tempo com toda essa conversa. Vamos aproveitar nosso tempo juntos de forma mais produtiva". Como Maria iria reagir? 

Recentemente fiz uma pesquisa com várias moças que conheço sobre essa mesma questão. Todas, sem exceção, disseram que não concordariam com tal tipo de proposta. E a razão é simples: o conhecimento prévio sobre a outra pessoa é imprescindível para construir um relacionamento real. 

Em outras palavras, amor e conhecimento andam juntos. É preciso conhecer a outra pessoa para que o amor por ela possa crescer e se solidificar. Agora, como você pode imaginar que vai conseguir amar a Deus se não o conhece de fato? 

Vamos supor que você somente saiba sobre Ele aquelas coisas bem básicas: Deus é um Ser eterno, onipotente, onisciente, etc.  Ora, isso é pouco. Muito pouco. Saber somente isso sobre Deus seria igual a Maria, a moça do meu exemplo, conhecer apenas a idade, o estado civil e onde João mora. Ela precisaria saber mais para ter certeza de conhecer João de verdade. 

E assim também deve ser com Deus. O conhecimento real sobre Ele precisa incluir, por exemplo, a noção sobre o que Ele gosta (ou não gosta) em você, o que o faz sorrir e assim por diante. Mas como juntar esse conhecimento

Há duas fontes para obter as informações necessárias, que se complementam entre si. A primeira é a Bíblia - existe ali um tesouro de informações sobre Deus, que foram contadas (reveladas) por Ele mesmo.

É claro que a Bíblia não contém tudo que se pode saber sobre Deus e nem poderia, pois Ele é um Ser infinito. Sem contar, que há coisas que Deus não revelou - os seus mistérios. Mas, há ali informações suficientes para você poder construir um relacionamento de amor com Deus.

Porém, não se esqueça que você só vai se apropriar dessas informações se estudar o texto da Bíblia e ouvir pregações com base nela. Simples assim.

A segunda fonte de informação é o Espírito Santo, que fala diretamente com você e lhe diz se está caminhando na direção certa, isto é se está agradando a Deus. Trata-se daquela "pequena voz" que fala à sua consciência, advertindo e incomodando.

Mas uma conexão forte com o Espírito Santo somente pode se estabelecer com quem pediu para que Ele se fizesse presente na sua vida. Esse é o pré-requisito básico.

Concluindo, se você quer aprender a amar a Deus, trate de conhecê-lo. Não perca nenhuma oportunidade de estudar a Bíblia e refletir sobre ela. E peça a presença do Espírito Santo na sua vida. Mais ainda, sempre se mantenha aberto(a) e receptivo à sua voz. 

A partir desse conhecimento de Deus, você poderá então ir construindo, passo a passo, uma relação real com Ele. E essa relação irá transformar sua vida. Pode ter certeza.

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário