sexta-feira, 31 de julho de 2015

A TERRÍVEL HISTÓRIA DE SIMÃO, O MAGO

E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava o Evangelho. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; pois que os espíritos imundos saíam ...e muitos paralíticos e coxos eram curados ...E estava ali um certo homem, chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica, e tinha iludido o povo ...dizendo que era uma grande personagem ...Mas, como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus, e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito ...Pedro e João ...tendo descido [a Samaria], oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, dizendo: Dai-me também a mim esse poder ...Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus.                                                     Atos dos Apóstolos capítulo 8, versículos 5 a 24.
Simão, o mago, é provavelmente a pior figura da igreja cristã. O legado que deixou foi tão ruim, que os Pais da Igreja (as primeiras gerações de cristãos que se seguiram aos apóstolos) consideraram Simão como o fundador de todas as heresias cristãs. O que será que Simão fez de tão terrível? Simples, ele tentou comprar dons espirituais visando usá-los para obter vantagens financeiras. 

E tudo começou quando Felipe chegou em Samaria, no norte da Palestina, para pregar o Evangelho. Ali encontrou Simão, o mago, que atraía muita atenção da comunidade em geral por praticar atos que pareciam sobrenaturais: curandeirismo, leitura de sortes, consulta aos astros sobre o futuro, práticas para atrair boa sorte, etc. Ele era reconhecido como uma pessoa que tinha poder e ganhava bom dinheiro com isso.

Felipe chegou ao lugar onde Simão vivia e começou a pregar o Evangelho e confirmou sua autoridade espiritual praticando milagres importantes, como curas e a expulsão de demônios. E Simão ficou impressionado com o que viu: o poder de Felipe era real. 

Ele então decidiu "converter-se" e foi batizado por Felipe. Simão pensou que o batismo iria acrescentar mais alguns recursos ao seu repertório de truques sobrenaturais. 

Foi nessa altura que chegaram os apóstolos Pedro e João, para reforçar o trabalho de Felipe. E Simão viu os apóstolos impondo as mãos sobre as pessoas, fazendo-as receber o poder do Espírito Santo (dons espirituais). 

E o mago cobiçou esse poder pois percebeu que podia ganhar muito dinheiro. Procurou os apóstolos e lhes ofereceu dinheiro. E acabou expulso do meio dos cristãos por Pedro, pois o que tinha feito provou ser sua vida espiritual uma completa farsa.

O relato da Bíblia acaba nesse ponto, mas os escritos dos Pais da Igreja expandem bastante a descrição dos fatos, mostrando ter acontecido um choque espiritual de grandes proporções. E, ao final, desse processo Simão tornou-se a imagem de tudo aquilo que os cristãos não devem ser.

E é fácil entender a razão para isso. Em primeiro lugar, é claro que a conversão de Simão não foi verdadeira. Ele talvez até tenha acreditado que tinha aceitado Jesus, mas isso não aconteceu. Houve naquela situação também um erro de Felipe que aceitou como verdadeira a tal conversão - ele não teve discernimento espiritual suficiente para perceber o que se estava passando com Simão. 

E esse tipo de conversão, onde as pessoas se iludem que aceitaram Jesus nas suas vidas, mas na realidade estão apenas buscando receber vantagens materiais, como bençãos, é muito comum. Basta passear pelas igrejas ditas pentecostais que você vai poder perceber isso acontecendo.

O segundo problema teve a ver com a vontade de "comprar" dons espirituais. Ou seja, pagar para receber um poder vindo de Deus. E novamente isso não é incomum. É claro que hoje em dia as coisas não são colocadas dessa forma, de maneira tão crua. O processo é mais sofisticado e vem "embrulhado" em intenções que parecem nobres. 

É comum encontrar pessoas que pedem dons espirituais e prometem retribuir Deus dessa ou daquela forma - por exemplo, trabalhando com afinco na sua obra. E tais pessoas não buscam só vantagens financeiras, mas também fama e status. Afinal, alguns dons, como a cura, a palavra inspirada e o louvor têm a capacidade de empurrar as pessoas rapidamente para o "estrelato" cristão. 

Isso não quer dizer que é errado pedir a Deus o recebimento de dons espirituais. Claro que não. A própria Bíblia ensina que devemos procurar os melhores dons. A questão é qual o propósito da pessoa ao pedir isso. Se ela deseja sinceramente fazer o Reino de Deus avançar, sem pensar em qualquer vantagem pessoal, não há qualquer problema. 

Simão queria obter vantagens pessoais e pagou um peso terrível: simplesmente perdeu sua salvação. E assim vai acontecer com quem agir da mesma forma.

Dons espirituais são manifestações do poder de Deus que nos permitem fazer sua obra. Não podem nunca gerar vantagens pessoais de qualquer espécie. O que passar disso não vem de Deus. Simples assim.

Com carinho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário