quinta-feira, 23 de julho de 2015

O PERIGO INVISÍVEL

Tenho uma recordação da qual não me orgulho. Eu era jovem e tudo tinha dado certo na minha vida até então. Além disso, meu pai estava muito bem em termos profissionais e minha família tinha vida confortável.

Foi aí que eu consegui mais uma vitória - conclui meu primeiro mestrado, na Universidade Federal do RJ. Em dado momento, uma pessoa da igreja que eu frequentava se aproximou e lembrou-me que eu tinha muito a agradecer a Deus. E eu pensei - não falei em voz alta pois a censura me impediu: "por que tenho que agradecer se o esforço foi todo meu?

Mais adiante na minha vida, quando as vitórias começaram a se misturar com as derrotas, percebi que existiam situações onde os resultados eram sempre piores do que eu tinha planejado, apesar de meus melhores esforços. Em outras palavras, havia mais por trás das vitórias do que meu esforço pessoal. 

Consegui perceber que tinha estado errado, muito errado. E o tipo de reação que tinha sido comum em mim até então, era fruto da arrogância intelectual e da auto-suficiência, ambos pecados muito sérios. Pedi perdão a Ele e finalmente aprender que, sem Deus, eu não nunca conseguiria obter nada na minha vida.

Essa pequena história mostra bem o perigo que as pessoas correm quando tudo vai bem na sua vida. Isto porque elas tendem a esquecer-se de Deus. Algumas, como no meu caso, por se tornarem auto-suficientes, supervalorizando as próprias forças. Outras por não reservarem tempo de qualidade para Ele - o tempo disponível é todo gasto com trabalho, lazer, família, etc.


Quando isso acontece, Deus acaba intervindo para resgatar as pessoas. Para levá-las de volta para Ele - foi isso que aconteceu comigo. Se as pessoas não se voltam para Deus por vontade própria, acabam sendo levadas a Ele pelo sofrimento. 

De repente, as coisas deixam de dar certo e quanto mais as pessoas tentam fazer, menos resultados obtêm - o mundo delas parece desmoronar aos poucos. É aí, como último recurso, que as pessoas se lembram de Deus. E correm para Ele.

Já ouvi pessoas dizerem que Deus não deveria usar o sofrimento humano para levar as pessoas de volta para Ele. Mas se essa é a única forma de resgatar uma pessoa, trata-se de um ato de amor por parte de Deus. Ele poderia simplesmente deixar as pessoas que o abandonaram de lado, não mais se importar com elas. Mas continua a se importar, ao ponto de intervir na vida delas. 

Eu tenho uma percepção muito clara que se minha vida tivesse continuado a dar certo em tudo, provavelmente eu teria perdido a vida eterna. Foi o sofrimento que me colocou de volta no caminho certo. 

O problema por trás dessa questão é que o ser humano não lida bem com o próprio sucesso. Nem o rei Salomão, homem extremamente sábio, conseguiu fazer isso. Ele teve muita riqueza, poder e centenas de mulheres, tudo a partir da sabedoria que Deus lhe deu. Mas acabou se deixando levar por algumas de suas mulheres e prestou culto a deuses estranhos (sua descendência pagou um preço alto por causa disso). 

Lembre-se disso quando sua vida estiver correndo bem, com você gozando de saúde, prosperidade, paz, etc. Seja sempre grato(a) a Deus. Tenha sempre tempo de qualidade para dedicar a Ele - para orar, louvá-lo, estudar a Bíblia, ajudar o próximo, etc. 

Jamais permita que os bons tempos se tornem uma armadilha que irá cobrar de você um preço pesado, mais adiante. 

Com carinho

4 comentários:

  1. Prezado Vinicius,
    Acho estranho e ambíguo Deus usar o sofrimento humano para levar as pessoas de volta para Ele. Deveria existir outra maneira de resgatar uma pessoa. Fico confusa quando se trata deste assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não está em Deus e sim no ser humano. Esse, quando está bem de vida, costuma se esquecer de Deus. Se o ser humano agisse de forma diferente, Deus também mudaria sua forma de agir.

      Em outras palavras, nem sempre Deus traz o ser humano no sofrimento. Muitas vezes a pessoa vem mesmo quando está bem - conheço diversos casos assim. Mas infelizmente isso não é o mais comum.

      Vinicius

      Excluir
  2. Mas então é uma troca? Deus muda sua forma de agir conforme minhas ações corretas? Mas ELE estaria indo contra seus próprios mandamentos. Ainda fico muito confusa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma troca seria assim: eu prometo fazer uma coisa e Deus promete fazer algo em retribuição. Aliás, em lugar nenhum da Bíblia existe a promessa que se nos aproximarmos de Deus vamos ficar livre dos problemas, que não iremos mais sofrer. Portanto, não há troca.

      O que eu disse acima é que o ser humano não lida bem com o próprio sucesso. Quando ele vai bem na vida, acaba se afastando de Deus, como aconteceu com Salomão e eu dei depoimento sobre o meu próprio caso. É claro que há exceções, mas é assim com a maioria das pessoas.

      Quando o sofrimento chega - e acaba sempre chegando, mais cedo ou mais tarde - , a pessoa se lembra de Deus. E Ele é tão misericordioso que aceita a pessoa de volta - usa essa situação para mudar a vida da pessoa.

      Espero que tenha ficado claro.

      Abs
      Vinicius

      Excluir