terça-feira, 18 de agosto de 2015

A IMPORTANCIA DAS LISTAS DE ANTEPASSADOS

A Bíblia tem diversas listas de antepassados, chamadas "genealogias" - por exemplo em 1 Crônicas capítulos 1 a 8. Trata-se de relações sem fim de nome após nome de chefes das famílias israelitas, onde é indicado quem foi o pai de quem - algumas vezes são informadas ainda as idades dos pais quando tiveram seus filhos e de quando morreram. Algumas vezes são citados também os nomes das mães. 

Essas listas parecem acrescentar muito pouco ao relato bíblico pois essas informações poderiam ser tiradas dos relatos contidos no próprio texto. E, devo confessar, parecem meio aborrecidas. Por que então o Espírito Santo inspirou os autores da Bíblia a essas listas de antepassados? 

Penso que há várias razões importantes para isso:
  • As genealogias provam que os personagens citados na Bíblia viveram de fato. O cristianismo e o judaísmo são religiões históricas e, portanto, os relatos nela contidos referem-se a coisas reais. E as genealogias ajudam a comprovar isso.  
  • Elas servem para identificação dos diferentes personagens. Uma alternativa seria identificá-los com base nos lugares onde nasceram ou viveram - como, por exemplo, Maria Madalena (de Magdala). Mas a Bíblia preferiu quase sempre usar os nomes dos pais para fazer isso, como quando Jesus chamou o apóstolo Pedro de "Simão, filho de Jonas" ou "Barjonas" (Mateus capítulo 16, versículo 17).
  • As listas de antepassados comprovam que Jesus teve uma família humana. E há duas genealogias incluídas na Bíblia, sendo a primeira (Mateus capítulo 1, versículos 1 a 17) referente ao lado do pai adotivo (José) - essa era a genealogia oficial de Jesus. A outra é pelo lado de Maria (Lucas capítulo 3, versículos 23 a 38), a descendência de sangue. Em ambas, Jesus aparece como descendente de Davi, conforme tinha sido profetizado. 
  • As genealogias indicam como a Promessa (Aliança) de Deus com o povo de Israel foi transmitida de geração em geração. E mostra como Ele trabalhou, para atingir seus objetivos, com pessoas que à primeira vista poderiam parecer não ter a qualificação adequada, como a prostituta Raabe (Mateus capítulo 1, versículo 5). 

Concluindo, nada no texto bíblico está lá por acaso. Nada é supérfluo. Tudo ali tem sua razão de ser. 
Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário