terça-feira, 15 de setembro de 2015

O PODER DA ORAÇÃO

Confesso que não tenho falado muito sobre oração aqui no blog. Não porque o assunto careça de importância - oração é fundamental para a vida espiritual de qualquer pessoa. Trata-se de uma falha minha, na escolha dos assuntos a serem tratados aqui e que pretendo começar a corrigir com este post.

A oração é tão importante que chega a ser uma ordenança: em Mateus capítulo 26, versículo 41, Jesus nos manda vigiar e orar para não cair em tentação; já em 1 Tessalonicense capítulo 5, versículo 17, o apóstolo Paulo nos pediu para orar sem cessar.

Por isso o exemplo que encontramos na Bíblia é o da oração contínua. Jesus orou muito – ele se retirava para locais ermos para orar por muitas horas e até ensinou os discípulos a orar (Mateus capítulo 6, versículos 9 a 13). O mesmo pode ser dito de Pedro e dos demais apóstolos. Os primeiros cristãos também oravam muito (Atos capítulo 2, versículo 42). E até o Espírito Santo ora, intercedendo por nós com gemidos impressionantes (Romanos, capítulo 8, versículo 26).

Mas o que é a oração? A resposta é simples: trata-se de uma forma de comunicação com Deus. Orar é falar com Deus, abrir o coração e conversar com Ele. Essa não é a única forma de comunicação com Ele possível, existem outras, como o louvor.

Motivos para orar
Há inúmeros motivos pelos quais orar: 
  • Pedir socorro: o livro dos Salmos está cheio de orações assim (p. ex. 86, versículos 1 a 8). Até Jesus orou para pedir socorro (Lucas capítulo 22, versículos 41 a 44).
  • Adorar e agradecer a Deus (Filipenses capítulo 4, versículo 6)
  • Confessar pecados e mostrar arrependimento (Salmo 51)
  • Interceder por terceiros (João capítulo 42, versículo 10)
  • Afastar tentações

Como orar
Não é necessário usar palavras bonitas para fazer uma oração que seja atendida por Deus. Falo isso porque é muito frequente encontrar pessoas que se recusam a orar em público por acharem que não sabem como convém. Não há uma “receita” certa do que dizer nessas situações e também não é verdade que Deus só atende as orações bonitas, eloquentes. Nada disso. O que Deus espera é sinceridade de coração e demonstração de confiança (fé).

É claro que há coisas que precisam ser evitadas nas orações. Por exemplo, decorar um texto e ficar repetindo-o sem nem saber bem o que se está fazendo. Esse, por exemplo, é um costume muito comum entre os católicos, quando fazem novenas, usando o rosário. Jesus chamou isso de fazer “vãs repetições” (Mateus capítulo 6, versículo 7) e condenou tal procedimento.

A oração deve sempre ser feita em nome de Jesus (João capítulo 15, versículo 16), pois esse nome tem poder. A palavra “amem”, que quer dizer “assim seja”, sempre usada para encerrar as orações, não é obrigatória. Não vejo qualquer problema quando isso não é feito, mas eu acho a prática muito útil, pois deixa claro, quando se ora em público, que a oração acabou, evitando mal-entendidos.

A oração pode ter seu efeito potencializado com jejum (Mateus capítulo 17, versículos 18 a 21).

A prática de fechar os olhos não é obrigatória, mas também é muito útil, pois evita que as pessoas se distraiam – eu, por exemplo, não consigo prestar atenção na oração se não fechar os olhos.

Podemos orar em diversas posições – é muito comum, por exemplo, as pessoas orarem deitadas – e nada há de errado nisso. Agora, é preciso sempre manter a reverência, pois a pessoa está falando com Deus.

Um problema comum no ato de orar é a interrupção. O telefone toca, o filho entra no quarto, o marido chama e assim por diante. O ideal é orar em local e horário em que não se possa ser interrompido. Mas isso nem sempre é possível conseguir.

Então, se você for interrompido, lembre-se sempre que está falando com Deus e Ele é prioridade. Para ajudar você a entender a situação, imagine que você está falando com a pessoa mais importante do mundo – um rei ou presidente – e seja interrompido. Como agiria? Deixaria o rei ou presidente esperando e iria atender o filho ou marido ou o telefone que tocou? E nunca devemos esquecer que Deus é muito mais importante do que qualquer rei ou presidente.

Resultados da oração
O poder da oração é tão grande que gera tremores de terra, como aconteceu com os primeiros cristãos (Atos, capítulo 4, versículo 31). Isto significa que a oração pode gerar resultados físicos (concretos) – não estou falando, portanto, apenas de consequências espirituais.

Há muitos exemplos de resultados trazidos por oração. São curas, bênçãos diversas alcançadas, mudanças de vida e assim por diante. A Bíblia está cheia de relatos falando disso. Por exemplo, em 2 Reis capítulo 20, versículos 1 a 6, é contada a história do rei Ezequias, que recebeu uma mensagem de Deus sobre sua morte iminente. O rei se humilhou perante Deus e orou pedindo livramento. Seu pedido foi atendido - o profeta que dera o aviso ao rei, Isaías, foi mandado de volta ao rei com nova mensagem: sua vida seria acrescida em quinze anos. E é fácil ver o mesmo tipo de resultado na convivência diária dentro de qualquer comunidade cristã.

Especificamente no campo espiritual, o contato constante com Deus, através da oração, evita que a pessoa caia em tentação, isso é em armadilhas colocadas no seu caminho pelo Inimigo e que poderiam levá-la a desvios de conduta (pecados).

Palavras finais
Ore sempre que puder. Da forma que conseguir. Com as palavras que souber dizer. Quanto mais você puder fazer isso, melhor.

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário