quarta-feira, 7 de outubro de 2015

A BÍBLIA E AS LENDAS URBANAS

Lendas urbanas constituem um fenômeno interessante. Aparecem meio do nada. E algumas delas, de tão repetidas, acabam por serem consideradas como verdadeiras. 

Assim, basta passear pela Internet para ler "histórias" sobre pessoas que foram drogadas para terem órgãos roubados, ou caíram vivas e foram dissolvidas num tonel de suco ou ainda sobre formas bizarras de assalto. E quem as conta, jura que os fatos relatados são verdadeiros.

Infelizmente, também há lendas que usam a Bíblia como ponto de partido, atribuindo a ela fatos ou histórias que não nasceram ali. Algumas dessas lendas são simples, já outras podem ter consequências mais sérias. Vejamos quatro exemplos:

1. Jonas foi engolido por uma baleia?
Jonas foi um profeta que fugiu de missão dada a ele por Deus (ir pregar para o povo de Nínive). E quando ele fugia num navio, Deus mandou uma grande tempestade, somente acalmada quando o profeta foi atirado por seus companheiros de viagem ao mar. Veja o relato desse evento na Bíblia (Jonas capítulo 1, versículos 15 a 17):
"E levantaram Jonas, e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria... Separou o SENHOR um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe." 
A lenda diz que Jonas foi engolido por uma baleia, mas a Bíblia fala apenas em peixe. Ora, baleias não são peixes e sim cetáceos (mamíferos), logo não foi uma baleia que engoliu Jonas.

Mas por que existe essa lenda? Simples, porque a baleia é o maior ser vivente no mar e parece natural ter sido um animal desse tipo que engoliu Jonas. Em outras palavras, essa lenda nasceu da tentativa de harmonizar o relato da Bíblia com aquilo que se conhece na natureza, sem precisar recorrer a um milagre.

E não há porque fazer isso. O relato fala em peixe e qual é o problema de pensar que Deus enviou um peixe de tamanho incomum para cumprir a missão de engolir Jonas? Só há tal problema para quem não acredita em milagres.

2. Os três reis magos visitaram Jesus na manjedoura?
O presépio de Natal - Jesus deitado na manjedoura, cercado por José, Maria, os animais, os pastores e, à sua frente, os três reis magos, oferecendo ouro incenso e mirra - é uma cena que está na mente de todo mundo. É uma imagem linda.

Mas talvez você não saiba que essa cena nasceu de uma lenda, pois a Bíblia não fala isso. Na verdade, os reis magos visitaram Jesus vários dias depois do seu nascimento. Vejamos o texto que descreve essa visita (Mateus capítulo 2, versículos 1 a 12):

 "... E perguntavam [os magos]: Onde está o recém-nascido Rei dos Judeus? Porque vimos sua estrela no Oriente, e viemos adorá-lo... [Responderam] em Belém da Judeia, porque assim está escrito por intermédio do profeta... Eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que chegando parou sobre onde estava o menino... Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se o adoraram; e abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra."
Fica claro no texto que os magos foram primeiro a Jerusalém e falaram com o rei Herodes e os principais sacerdotes, perguntando-lhes sobre Jesus. E reparem que eles se referiram a Jesus como um recém-nascido, isto é a criança já tinha nascido. Só depois foram até Belém encontrar Jesus. O texto também diz que eles visitaram o recém-nascido numa casa e Jesus nasceu numa estrebaria. 

O texto nos deixa perceber que, nesse meio tempo, José já tinha conseguido levar sua família para um lugar melhor, situação bastante natural. O recurso à estrebaria foi tomado num momento de desespero, pois não havia lugar disponível na noite do nascimento de Jesus e Maria estava sentindo as dores do parto. Depois, como é natural, José conseguiu encontrar acomodações mais dignas - uma casa.

E foi nela que os magos visitaram Jesus. Portanto, a imagem dos reis magos presentes na cena da manjedoura é linda, mas somente uma lenda.

3. Paulo caiu do cavalo na estrada para Damasco?
O apóstolo Paulo, antes de se converter, perseguiu os cristãos, por ele considerados como hereges. Muitos cristãos morreram por causa dessa perseguição, dentre os quais o diácono Estevão (o primeiro mártir).

Certo dia, ainda antes de se converter, Paulo ia para Damasco, seguindo ordem dos principais sacerdotes judeus - ali iria liderar a perseguição aos cristãos. E no caminho, Paulo teve uma visão de Jesus (Atos dos Apóstolos capítulo 9, versículos 1 a 9):

"Seguindo ele [Paulo] estrada a fora, ao aproximar-se de Damasco, subitamente uma luz do céu brilhou a seu redor, e caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues..." 
Essa visão mudou a vida de Paulo, que virou o maior dentre os apóstolos - escreveu mais da metade do texto do Novo Testamento, fundou inúmeras igrejas e levou o cristianismo até os gentios (nãos judeus).

Ora, reza a lenda que Paulo viajava montado num cavalo e caiu, quando teve a tal visão - vem daí a expressão "cair do cavalo" para indicar uma situação em que a pessoa perde o controle. Mas o texto bíblico não fala em cavalo.

Naquela época, todas as pessoas, exceto as mais ricas (coisa que Paulo não era), viajavam a pé, contando no máximo com jumentos para carregar a bagagem. Portanto, quase com certeza, Paulo viajava a pé e não pode ter caído do cavalo. 

4. Maria Madalena foi prostituta?
Madalena foi uma pessoa muito importante na história do cristianismo. Liderou um grupo de mulheres que cuidou e ajudou no sustento de Jesus e dos seus discípulos. Foi a primeira pessoa a vê-lo depois da sua ressurreição.

Sua importância foi tamanha que várias lendas surgiram sobre um pseudo casamento dela com Jesus - a mais famosa está relatada no livro "O código da Vinci".

Mas a lenda que discuto aqui não é essa, já bem desacreditada e sim outra, essa sim aceita por muita gente. Refiro-me à afirmação que Maria Madalena teria sido uma prostituta antes de se converter ao cristianismo.

Ora, a Bíblia não afirma isso - fala apenas que Madalena foi libertada de sete demônios (Lucas capítulo 8 versículo 2). E uma possessão não tem relação direta com prostituição - conheço diversas mulheres que passaram por possessões e nunca foram prostitutas.

Na verdade, a lenda de Madalena como prostituta foi construída no século VI da nossa era, quando foi atribuído a ela o ato de lavar os pés de Jesus com suas lágrimas. Mas vejamos o que a Bíblia fala sobre esse evento (Lucas capítulo 7, versículos 36 a 50):

"... E eis que mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele [Jesus] estava à mesa na casa do fariseu... estando por detrás, a seus pés, chorando, regava-os com as suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos..." 
O texto não diz que foi Madalena quem praticou esse ato. Conforme já disse, foi apenas um ensinamento posterior (e errado) que fez a ligação entre essa prostituta e Madalena. E isso foi feito, conforme muitos acreditam, para reduzir a importância da discípula na história cristã, que incomodava a muitos. Ou seja, machismo puro e simples. 

Comentários finais
Citei aqui apenas quatro dentre as várias lendas construídas sobre a Bíblia. Muitas, como o caso do cavalo inexistente de Paulo ou a visita dos reis magos à manjedoura, não têm maior importância teológica. São erros sem grande consequência. Valem ser citados mais por curiosidade.

Mas outras têm sim importância teológica. A baleia que teria engolido Jonas eliminou a necessidade de um milagre. A atribuição a Maria Madalena do pecado da prostituição, diminuiu o papel dela. Erros desse tipo não são inocentes e, portanto, precisam ser combatidos.

Com carinho  

Nenhum comentário:

Postar um comentário