terça-feira, 8 de dezembro de 2015

MATURIDADE ESPIRITUAL

Por favor, leia este mesmo post no meu novo site http://www.sercristao.org/2015/12/08/maturidade-espiritua/ . 
Há um interessante texto do Apóstolo Paulo em 1 Coríntios capítulo 3, versículos 1 e 2, onde ele fala que estava dando “alimento" (ensinamentos) para "crianças" (pessoas espiritualmente imaturas). Esse texto prova que existe uma "maturidade espiritual", similar ao que ocorre com as áreas física e emocional. 

E quando um(a) cristão(ã) pode ser considerado amadurecido espiritualmente? Quais são os sinais que ele(a) exibe? Acho que a resposta deve ser buscada na própria raiz da vida espiritual do(a) cristão(ã): a fé em Cristo. Um(a) cristão(ã) maduro(a) é quem tem uma fé amadurecida. Simples assim.

Mas o que é uma fé amadurecida? A Bíblia responde essa pergunta com clareza. A resposta está em Tiago capítulo 2, versículos 14 a 26. Ali está dito que a fé amadurecida é aquela que produz frutos. A fé que transforma a vida da pessoa e a faz pensar e agir mais de acordo com aquilo que Deus deseja dos seres humanos.

Eu não disse que se trata de uma fé sem lutas, dúvidas e até momentos de perplexidade. Afinal, todos os grandes homens e mulheres da fé tiveram seus momentos de dificuldade espiritual. Um bom exemplo é João Batista que quando estava preso, teve dúvidas se Jesus era mesmo o Messias (Mateus capítulo 11, versículos 2 a 6).

Portanto, o que diferencia a fé madura das demais não é a ausência de dificuldades, mas a forma como a pessoa lida com elas. Vou dar alguns exemplos para ajudar você entender ao que me refiro. Para tanto, responda sinceramente as perguntas abaixo e depois leia os comentários que fiz. Essas reflexões vão ajudar você a se auto-avaliar no que tange ao seu grau de maturidade espiritual:


1. Qual das duas alternativas abaixo caracteriza melhor seus verdadeiros motivos para fazer a obra de Deus?

•  Ganhar mérito junto a Deus 
•  Você se sente honrado(a) por que Deus opera na vida das outras pessoas através de você

Comentário: A esmagadora maioria das pessoas escolhe a primeira alternativa. É claro que mérito é acumulado ao fazer a obra de Deus – Jesus chegou a dizer que nem um copo de água dado a uma pessoa necessitada ficaria sem sua devida recompensa. Mas não é isso que deve motivar um(a) cristão(ã) amadurecido(a) e sim o desejo puro e simples de servir a Deus, a honra de se sentir um instrumento d´Ele. O apóstolo Paulo chegou a dizer que seria um homem miserável se não pudesse pregar a Palavra de Deus. 



2. A opinião dos outros importa para você?

Comentário: a resposta normal é reconhecer que importa muito. Mas à medida que amadurece, o(a) cristão(ã) dá cada vez menos importância à opinião das demais pessoas, especialmente se essa opinião contraria a vontade de Deus. Por exemplo, Jesus foi chamado de comilão e beberrão, pois comia na casa de pecadores, mas seu objetivo era trazer essas pessoas de volta para Deus. Foi criticado pela sua própria família, pois como irmão mais velho, todos esperavam que Ele ficasse em casa cuidando da família e não saísse pelo mundo pregando a Palavra de Deus. Mas Ele não se afastou um milímetro da sua missão. 

3. Você consegue perdoar?
Comentário: Poucas pessoas conseguem perdoar verdadeiramente. Isso é realmente difícil. Conseguir perdoar, não importa a ofensa feita, é um dos maiores sinais de maturidade espiritual. 

4. Você se alegra verdadeiramente com as bênçãos derramadas sobre as outras pessoas mesmo quando não se sente abençoado da mesma maneira?
Comentário: Imagine ver alguém ao seu lado cheio de bênçãos materiais, enquanto você luta com dificuldades financeiras. E o pior, a pessoa tão abençoada por Deus não lhe parece ter mais mérito do que você. Eu já passei por esse tipo de experiência e posso testemunhar como é difícil aceitar esse tipo de situação. É preciso ter confiança absoluta e verdadeira em Deus e na sua justiça.  



5. Você acha que Deus deve ter como objetivo promover sua felicidade?

Comentário: Acredito que a esmagadora maioria dos(as) cristãos(ãs) responderia que sim. Mas a felicidade, da forma como a entendemos hoje (vida próspera, plena de realizações, com saúde, segurança, etc) não é em absoluto uma promessa bíblica. Olhando de perto a vida dos grandes homens e mulheres da Bíblia, nenhum(a) deles(as), com a possível exceção do rei Salomão, preenche o modelo moderno de vida feliz. Todos tiveram lutas e sofreram - o apóstolo Paulo falou bastante sobre as dificuldades que enfrentou ao longo do seu ministério (2 Coríntios capítulo 11, versículos 13 a 33). É claro que Deus deseja o nosso bem - um Pai amoroso nem poderia pensar de outra forma. Mas o entendimento de Deus sobre nosso "bem" é diferente do nosso. 


Palavras finais
Alcançar a plena maturidade espiritual, assim como acontece no campo emocional, é um processo longo e trabalhoso. Passa por avanços e recuos, traz alegrias e sofrimento, momentos de paz e de inquietude. Mas é o que de melhor pode acontecer para você e para mim. 

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário