sábado, 2 de abril de 2016

A ORAÇÃO DA SERENIDADE

Que Deus me dê serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, coragem para mudar as que posso e sabedoria para distinguir entre elas.                Reinhold Niebuhr, teólogo norte-americano
Esse pensamento é conhecido como a “oração da serenidade”. Não é bíblico pois se deve a um teólogo norte-americano, mas não faria feio se tivesse sido incluído na Palavra de Deus, pois gera um ensinamento de grande sabedoria.

A oração tem três partes que se interligam e juntas passam a ter um sentido maior:

Aceitar o inevitável
A vida humana tem muitas coisas inevitáveis. A mais evidente delas é a morte – todos(as) vão passar por essa experiência cedo ou tarde. Apesar disso, praticamente todo mundo vive como se fosse durar para sempre e isso é especialmente verdade entre os(as) jovens.

Há muitas outras coisas inevitáveis na vida. Um bom exemplo é o processo de envelhecimento – só não fica velho(a) quem morre cedo. Simples assim. Infelizmente, muitas pessoas lutam desesperadamente contra o envelhecimento, enfrentam uma guerra perdida. Não estou aqui dizendo que a pessoa deve deixar-se “desmoronar”, ao ficar mais velha, mas sim que não deve tornar a luta contra o envelhecimento uma das suas maiores motivações. 

A “oração da serenidade” ensina as pessoas a pedir a Deus serenidade para aceitar aquilo que não podem mudar, coisas que não dependem dos seus esforços individuais. Naturalmente, aí se encaixam, além da morte e do envelhecimento, coisas como o sofrimento – todos(as) vão passar ou diretamente ou via pessoas queridas. 

O problema é que as pessoas costumam se revoltar quando o inevitável bate à porta. Sentem-se desamparadas ou até injustiçadas por Deus. Não percebem estar lidando com situações inerentes ao próprio ato de viver. E a serenidade para entender essa realidade difícil, mas nem por isso menos verdadeira, é muito importante para não se perder na vida espiritual.

Coragem para mudar 
Há na vida também um monte de coisas que parecem não ser passíveis de mudança, ou seja, deveriam ser aceitas com serenidade. Mas que não são de fato inevitáveis. 

Há coisas tão entranhadas na sociedade que geram enorme resistência quando alguém pretende muda-las e duas delas são a injustiça social e a corrupção. Declarações do tipo “o Brasil é assim mesmo e não vai mudar, pois os poderosos não vão deixar...” são comuns e acabam por tornar “inevitáveis” aquilo que poderia ser mudado, desde que houvesse coragem e comprometimento para tanto. Um bom exemplo é a limpeza ética que a operação Lava Jato está promovendo – quase ninguém que conheço acreditava ser possível ir tão longe no combate à corrupção. 

Ora, os(as) cristão(ãs) são maioria na sociedade brasileira e se cada um(a) deles(as) vivesse plenamente o Evangelho de Jesus, as coisas seriam muito diferentes no Brasil - nossa sociedade seria mais justa, mais ética, etc. Portanto, é possível sim mudar muita coisa, se houver disposição para isso. 

Estou na verdade falando aqui que é possível sim mudar as coisas erradas desde que haja coragem. É mais fácil perceber isso quando cito exemplos que envolvem coisas como injustiça social e corrupção. Mas há muito mais, como os vícios, hábitos que parecem bons mas na verdade escravizam as pessoas e elas nem percebem. Por exemplo, experimente tirar o celular de um(a) adolescente... 

São coisas como a televisão, a comida (além do necessário para viver), o consumo de supérfluos, a presença nas redes sociais (Facebook e outras) e assim por diante. As pessoas dependem dessas coisas muito mais do que imaginam ser o caso. E como dependem delas, essas coisas se tonam “inevitáveis”, não podem ser mudadas, não dá para viver sem elas. 

E mudar o que parece ser inevitável tem tudo a ver com o processo de santificação (viver uma vida cada vez mais de acordo com aquilo que Deus espera das pessoas). Isso não é fácil e requer coragem – para reconhecer as próprias limitações e erros, para privar-se daquilo que traz prazer, mas não é bom, e até para ser diferente das demais pessoas (o que pode gerar piadas, incompreensões, etc). 

A coragem necessária para mudar precisa vir de Deus, através da ação do Espírito Santo na vida pessoa. E a “oração da serenidade” reconhece essa verdade absoluta: sem Deus não há como fazer isso.

A sabedoria para saber distinguir a diferença 
As pessoas que passam a vida lutando contra o envelhecimento lutam, conforme já disse, uma guerra perdida. E fazem isso por não ter sabedoria para entender que o envelhecimento é parte da vida, algo inevitável. O mesmo pode ser dito de quem se entrega ao pecado porque entende não haver outra forma para viver sua vida, isto é não tem como evitá-lo. 

A sabedoria para poder diferenciar corretamente as coisas que é preciso aceitar com serenidade daquelas que precisam ser mudadas de forma corajosa, só pode vir de Deus, através da ação do Espírito Santo. 

Sem tal tipo de entendimento, a pessoa irá seguir pela vida tropeçando - lutando as guerras que não poderia e, ainda pior, deixando de lutar aquelas que deveriam ser obrigatórias. Acaba espiritualmente perdida, sem saber direito como proceder. Fazendo as coisas erradas, mesmo quando tem as melhores intenções. E infelizmente, essa a condição de muitas, mas muitas, pessoas

Com carinho

Um comentário:

  1. esta oração e dos AAA Alcoolicos Anonimos e o autor e desconhecido.

    ResponderExcluir