segunda-feira, 27 de junho de 2016

A VOZ DO POVO NÃO É A VOZ DE DEUS

O tão conhecido ditado popular “a voz do povo é a voz de Deus”, que muita gente aceita como verdade, não têm qualquer respaldo na Bíblia.

A voz do povo abrange um monte de coisas, tanto pequenas - quando eu era garoto, dizia-se ser perigoso comer manga com leite -, como muito importantes – por exemplo, “quem tem padrinho não morre pagão”, caracterizando que a ajuda de familiares e amigos é quase sempre imprescindível.

A voz do povo se faz ouvir tanto pela repetição contínua de determinada ideia - de tanto ouvi-la, as pessoas acabam por acreditar nela - ou pelo chamado "clamor das ruas", quando uma multidão se junta para cobrar determinada medida, como aconteceu no Brasil, no "Movimento das Diretas Já", em 1984, ou mais recentemente, nas manifestações pelo impeachment da Presidente Dilma..

A voz de Deus chega até nós de diferentes formas. Em primeiro lugar, através da Bíblia, que é a sua Palavra. Mas também chega através de profetas, pessoas especialmente escolhidas por Deus para transmitir sua vontade. Finalmente, há casos também onde Deus falou ao povo diretamente - por exemplo, quando Jesus foi batizado, ouviu-se uma voz vinda do céu dizendo que ali estava Seu filho amado (Lucas capítulo 3, versículos 21 e 22).

Levando tudo isso em conta, é possível que a voz de Deus seja igual à voz do povo? Sim, é possível. Por exemplo, a Bíblia descreve a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, no Domingo de Ramos. E o povo saiu atrás d´Ele, cantando e clamando "salva-nos" (Hosana em hebraico). Os fariseus estranharam e pediram que Jesus repreendesse as pessoas, para que elas se calassem. E Ele lhes respondeu, dizendo: “se eles se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas capítulo 19, versículos 37 a 40). 

É interessante perceber que, nessa oportunidade, o povo falou a vontade de Deus mesmo sem entender bem quem a missão de Jesus - os judeus esperavam outro tipo de Messias, alguém que viria libertá-los do jugo dos romanos.

Portanto, é possível sim que a voz do povo seja igual à voz de Deus. Mas isso acontece raramente e por várias razões. Primeiro, porque a voz do povo costuma conter erros - como no exemplo de evitar comer manga com leite. Frequentemente ela é simplesmente a voz da ignorância ou do medo, como quando os judeus clamaram para que Jesus Cristo fosse crucificado e um bandido, Barrabás, fosse solto (Lucas capítulo 23, versículos 13 a 25). 

A voz do povo é imperfeita porque é simplesmente o resultado da soma do que cada um(a) de nós, seres imperfeitos, acredita. Assim, produz verdades, é fato, mas também muitas mentiras.E tanto contribui para o progresso da sociedade como para seu atraso.

Já a voz de Deus é sempre perfeita, amorosa e só fala a verdade. Portanto, frequentemente é diferente da voz do povo. As duas vozes até podem se aproximar ocasionalmente, mas na maioria das vezes andam bem distantes.

A Bíblia ensina que não devemos nos preocupar muito com a voz do povo, ou seja com as opiniões das pessoas que nos cercam, com o clamor das ruas ou com as manchetes na mídia. Precisamos sim prestar atenção na voz de Deus, naquilo que a Bíblia ensina e Ele espera que venhamos a ouvir.

Quando a voz do povo defende o que é justo, como liberdade e justiça para todo mundo, melhor. Podemos nos juntar a ela sabendo que também estamos seguindo a voz de Deus. Mas quando a voz do povo divergir da voz de Deus, devemos ficar com a segunda, por mais difícil que isso seja.

A Bíblia conta sobre o momento em que os apóstolos Pedro e João receberam a ordem dos líderes judeus, falando em nome de todo o seu povo, para que não pregassem mais o Evangelho de Jesus. E eles responderam que mais valia obedecer a Deus que aos homens (Atos dos Apóstolos capítulo 5, versículo 29). Esse é o exemplo que precisamos seguir.

Procure sempre seguir a voz de Deus e tome cuidado com a voz do povo, pois nem sempre ela é boa conselheira.

Com carinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário