sábado, 31 de março de 2012

MENINA GRANDE CONVERSA COM DEUS

      Texto de ficção, dedicado a certa Menina Grande...

Mais uma noite sem dormir direito. Menina Grande virava para cá e para lá e o sono não vinha. Sua cabeça estava a mil. Os problemas eram muitos e ela não conseguia dar conta. Não gostava do seu corpo – queria ser mais magra -, coisa comum a quase todas as mulheres, mas com ela isso assumia contornos mais fortes, de autoestima mesmo.

Sua vida profissional não andava bem. Tantas coisas ruins tinham acontecido nos últimos anos. Vários sonhos ficaram pelo meio do caminho. O dinheiro andava apertado. E tudo isso a incomodava muito.

Não entendia a justiça de Deus. Os ímpios prosperavam e os pobres e indefesos sofriam. Os corruptos cada vez mais ricos, zombavam da justiça dos homens e de Deus.

Ela queria que Deus lhe explicasse tudo isso. Mas as respostas não vinham. Deus estava mudo – pelo menos era assim com ela. Chorou por bom tempo e, de repente, percebeu que havia algo diferente no ambiente. Sentiu uma presença poderosa, que não conseguia precisar bem o que era. Aí ouviu uma voz majestosa, dizendo:
 
- Menina Grande, por que você não consegue descansar?

- Meu Deus, você está falando comigo?

Menina Grande não conseguia se dirigir a Deus como Pai, porque tinha tido muitos problemas com seu pai biológico e a figura paterna não era algo bem resolvido para ela. Deus, portanto, para ela, era somente Deus, todo poderoso, criador dos céus e da terra.

- Fala minha filha, que eu escuto. O que você quer saber?

- Meu Deus, por que eu não tenho o corpo que gostaria e especialmente, por que eu não sou magrinha, magrinha?

- Minha filha, por que você é bonita? Por que é inteligente? As razões são as mesmas e elas estão presentes na sua carga genética. Ali há coisas boas e ruins.

- Deus, por que estou passando por tantos problemas na minha vida profissional? Por que tudo que eu construí virou pó?

 - Minha filha, você precisava diminuir o ritmo. Relaxar e olhar em torno. Dar mais atenção para as coisas que verdadeiramente importam, como sua vida espiritual, família e os necessitados. E você não conseguiria fazer isso trabalhando 14 horas por dia, cheia de estresse e maltratando seu corpo com cigarro, muito café e comida ruim.

- Mas por que há tanta injustiça no mundo?

- Porque o ser humano usa mal seu livre arbítrio – escolhe mal as suas opções.

- Mas e os que sofrem? Quem cuida deles?

 
- Eu cuido. Eu os conheço. Eu sei das dores deles. E nenhuma lágrima ficará sem resposta. Confie em mim.

- Mas Deus eu...  


Deus interrompeu Menina Grande e carinhosamente disse:

- Está na hora de você parar de perguntar o “por que” das coisas e passar a entender o “para que” delas. É preciso que você confie mais em mim. Venha mais até mim. Traga suas tristezas, seu cansaço e me entregue. E você sentirá alívio.

Nesse momento, Menina Grande sentiu grande paz dentro de si mesma. Parecia que uma mão gigantesca tinha levantado toda a carga que pesava sobre ela. Sentiu-se leve, como não se sentia desde criança.

E ela chorou novamente. Agora, um choro de alívio e gratidão. Depois, dormiu profundamente, como há muito tempo não fazia.

E nem ouviu a mesma voz, quando ela disse:

- Dorme Menina Grande. Dorme, que eu cuido de você.


Com carinho

quarta-feira, 14 de março de 2012